Notícias

Academia Piauiense de Letras lança novos livros da coleção Centenário


A Academia Piauiense de Letras lançou no último sábado, 09 de junho, novas publicações da Coleção Centenário. Os livros lançados, foram: A Criação Universal, Leonardo das Dores Castelo Branco; Dicionário de Brasileirismos no Piauí, de Fontes Ibiapina; É preciso filosofar, de Manfredi Mendes de Cerqueira; e Lendas e Superstições do Norte do Brasil, de João Alfredo de Freitas.

 

 

Em evento liderado pelo presidente da APL, Nelson Nery Costa, as obras foram apresentadas para o público, consolidando a importância histórica da coleção para a literatura piauiense. Na segunda edição do ‘Dicionário de Brasileirismo no Piauí’, por exemplo, Fontes Ibipiana traz um valioso registro de vocábulos que vão muito além da obra, enaltecendo nossa cultura. “Fontes Ibiapina foi um grande observador do mundo. Permitam-me dizer, um grande avó. Contador de histórias, colecionador de coisas e cacarecos, distribuidor de causos e de palavras de um menino de fazenda”, indicou a neta de Fontes Ibiapina, Laila Ibiapina Caddah.

Reeditado pela APL, em ‘Lendas e Superstições do Norte do Brasil’, João Alfredo de Freitas analisa a psicologia do povo, principalmente os mais incultos, com suas crendices, lendas, fantasias e superstições. A obra foi publicada pela primeira vez em 1884.

 

 

COLEÇÃO CENTENÁRIO – A coleção traz para os piauienses obras que reúnem informações, histórias, fatos, relatos e imagens que retratem a história da Academia. “Estamos realizando uma série de eventos em homenagem aos 100 anos da APL; a Coleção Centenário é um desafio editorial e não tem nada similar no Brasil”, indicou o presidente da APL, Nelson Nery Costa.

A instituição está desenvolvendo uma programação desde dezembro do ano passado em que comemora os seus 100 anos. Entre os eventos, já ocorreu a entrega da Medalha do Centenário a mais de 50 personalidades que contribuíram ou tem contribuído para a literatura piauiense. Também já ocorreu a inauguração do Museu da Cultura Literária Piauiense, instalado na Casa de Lucídio Freitas, sede da Academia.

Além disso, a Coleção Centenário vem, desde 2016, fazendo um resgate de obras antigas, importantes, escritas por intelectuais renomados, que tratam sobre o Piauí e sobre tudo que se relaciona com o Estado.

 


Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × cinco =