Beleza e Saúde

Virose da mosca: médico alerta que casos aumentam em 40% no período chuvoso


As chuvas intensas, características desse período no Piauí, trazem consigo a proliferação de muitos insetos, principalmente moscas e mosquitos. São eles os vetores de diversos tipos de doenças, que tendem a fazer mais vítimas nessa época do ano. Segundo o médico Maurício Paes Landim, diretor clínico do Hospital Rio Poty, as infecções causadas por moscas e insetos aumentam em cerca de 40% nesse período do ano. O especialista faz um alerta em relação aos fatores que causam essas infecções.

“As moscas são vetores de uma série de doenças, como verminoses, viroses, que podem causar infecções intestinais, infecções de vias aéreas superiores. Então, nessa época de chuva, há uma multiplicação desses vetores e é preciso acentuar os cuidados elementares, como cobrir os alimentos quando eles forem à mesa e no momento do preparo, lavar a mão, que é o cuidado que depende de cada um e é muito fácil, barato e simples de ser executado para que essas bactérias e vírus, principalmente as viroses intestinais que são tão comuns nas crianças não progridam e não aumentem sua prevalência”, afirma Maurício Paes Landim.

 

O médico Maurício Paes Landim, diretor clínico do Hospital Rio Poty

É quando a mosca pousa no alimento que ela transmite diversas bactérias, fungos e vírus, aumentando ainda mais os casos da doença. Os sintomas podem ser febre, dor no corpo, desconforto abdominal, diarréia, coriza, moleza e ardência nos olhos. Em casos de infecções virais, os sintomas são mais brandos e costumam desaparecer em cinco dias. Já as infecções causadas por bactérias são mais severas, a febre e a diarréia costumam ser mais intensas.

Além dos cuidados com a higiene, o especialista destaca ainda a necessidade de algumas medidas para combater a infecção. “O tratamento é basicamente sintomático: hidratação, alimentação mais balanceada, repouso, alguns medicamentos para diminuir dores, febres, e, em algumas situações mais raras, pode ser necessário uso de antibióticos e internação do paciente para observação e medicamentos pela veia. Na maioria dos casos, o tratamento não tem muita necessidade de intervenção médica. Mas nos casos mais severos é necessário procurar um centro de saúde de referência para ser atendido por um profissional”, explica.


Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 6 =