Piauí terá professor na Academia Brasileira de Literatura de Cordel

O professor piauiense Wilson Seraine foi convidado para integrar a Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC). A solenidade de posse acontecerá nesta sexta (26), a partir das 19h, na sede do Conselho Estadual de Cultura do Piauí.

A indicação de Wilson Seraine foi realizada pelo presidente da ABLC, o poeta Gonçalo Ferreira da Silva. “Convidamos o Wilson para integrar nossa casa, na categoria pesquisador, porque entendemos que o trabalho dele tem contribuído de maneira fundamental para preservar a literatura de cordel”, destaca Gonçalo Ferreira.

“Recebemos o convite com muita honra. Estou feliz por ser lembrado e acolhido pela Academia, que eu respeito há muito tempo. Pertencer à ABLC reforçará, ainda mais, nosso comprometimento com a cultura”, afirma Wilson Seraine.

A admiração de Wilson pela literatura de cordel resultou no livro “A Literatura de Cordel no Ensino de Ciências”. A obra é resultado da dissertação de mestrado defendida por ele, em 2009, e comprova a hipótese de que a literatura de cordel pode colaborar para a compreensão de conteúdos didáticos e que é possível incorporá-la à prática docente.

Em parceria com o cordelista Pedro Costa, que faleceu em 2017, Seraine inovou na apresentação do livro – a introdução e a conclusão vêm em formato de cordel, mostrando, na prática, ao leitor como os versos podem ensinar.

“Pedro Costa foi o primeiro piauiense a ser empossado na ABLC. Era um poeta que valorizava a beleza e a riqueza dessa manifestação cultural tão abrangente”, lembra Wilson.

A solenidade contará com apresentações culturais de violeiros e poetas populares, e a presença do presidente da ABLC, o poeta Gonçalo Ferreira da Silva. O presidente da Academia Piauiense de Letras, Nelson Nery Costa, fará a apresentação de Wilson na abertura do evento.

Wilson Seraine

Wilson Seraine é piauiense, de Teresina. Formado em Licenciatura Plena em Física na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA-RS). É professor de física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI), autor de 7 livros nos segmentos de educação e cultura popular,  é membro da Academia Piauiense de Literatura de Cordel,  integra o Conselho Estadual de Cultura do Estado do Piauí, preside a 1ª Colônia Gonzagueana do Brasil, localizada em Teresina, e apresenta, na FM Cultura de Teresina, o programa semanal “A Hora do Rei do Baião”.

Wilson estuda há 21 anos a história e obra de Luiz Gonzaga e é considerado um dos especialistas mais respeitados do Brasil quando se trata da vida e obra do “Rei do Baião”.

(ABLC)

A Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC) é uma instituição literária, com sede no Rio de Janeiro, que reúne representantes da literatura de cordel. Fundada em 1988, tem a finalidade de promover o intercâmbio cultural, social, artístico, literário e cívico, dentro e fora do Brasil, sem discriminação religiosa, social e político- econômica. O corpo acadêmico da ABLC é composto de 40 cadeiras de membros efetivos.

Procissão das Sanfonas completa 10 anos e fará abertura da Expozaga

O evento que celebra o aniversário de morte de Luiz Gonzaga, acontecerá no dia 02 de agosto, às 16h, saindo da Praça Saraiva até o Museu do Piauí
O tradicional evento que homenageia Luiz Gonzaga lembrando o dia de sua partida, chega a sua décima edição e acontece no dia 02 de agosto, em Teresina. A Procissão das Sanfonas todos os anos reúne sanfoneiros, artistas, amantes do baião, fãs de Gonzagão e um grande público que sai da Igreja de Nossa Senhora das Dores e percorre o calçadão da Simplício Mendes até chegar ao Museu do Piauí.
Este ano, ao final da procissão, haverá a abertura da exposição itinerante Luiz Gonzaga, com o acervo do memorialista Reginaldo Silva. A Expozaga que já passou por diversas cidades e capitais do Brasil, conta com cerca de 300 objetos pessoais do Rei do Baião. Gibão de couro, chapéus, óculos, fotografias, livros, artes plásticas, entre outros objetos do artista que ficarão expostas durante uma semana, no Museu do Piauí.
Wilson Seraine, presidente da Colônia Gonzaguiana
O professor Wilson Seraine, presidente da Colônia Gonzaguiana, idealizador do evento, estudioso da obra e vida de Luiz Gonzaga e autor de três livros acerca do universo gonzaguiano, conta que a celebração já faz parte do calendário cultural da cidade e marca o aniversário de morte de Luiz Gonzaga.
“São 29 anos da partida deste grande nome da música nordestina, a cada edição o evento fica maior e reúne ainda mais admiradores do Gonzagão. É um momento que os sanfoneiros confraternizam. A concentração ocorre sempre na Praça Saraiva, onde acontece a tradicional benção das sanfonas na Igreja de Nossa Senhora das Dores, que este ano será realizada pelo padre Antônio Cruz, da paróquia de Nossa Senhora de Lourdes e depois a gente segue pelas ruas de Teresina, cantando e exaltando o legado deixado por Luiz Gonzaga, até chegar ao Museu do Piauí, onde haverá abertura da exposição itinerante”.
Ainda de acordo com Wilson Seraine, este ano é esperado cerca de 60 sanfoneiros que vem de todos os cantos do Piauí, além de triangueiros e zabumbeiros. “É magnifico o trabalho porque é mais que uma homenagem, é uma uma forma de estar resgatando a memória e o trabalho maestril do grande Rei do Baião. Reunimos crianças e idosos apaixonados pela música e pela obra de Gonzaga. É uma festa muito bonita e que cresce a cada ano”, afirmou.
A procissão contará ainda com bonecos gigantes de Luiz Gonzaga, Padre Cícero e Lampião, e nesta edição ganhará mais um boneco, o de Maria Bonita.
FOTOS: LUCIANO KLAUS