Exercícios de pouco impacto atraem grávidas para academias

Período marcado por transformações do corpo e na mente, a gestação impõe uma série de dúvidas para as mulheres.  Muitas evitam praticar exercícios físicos por receio, no entanto, com a orientação profissional correta, é possível fugir do sedentarismo nessa fase e garantir uma série de benefícios para nova mamãe e para o bebê. Esse cuidado especial aliado a uma alimentação saudável pode ser o segredo para uma gravidez mais tranquila.

Pensando nessas mudanças e na preocupação das mulheres com a sua saúde e a do bebê, as academias se especializam em oferecer tratamento diferenciado, atendendo a necessidade de cada mãe, de modo que durante a gestação, o organismo materno passa por várias alterações metabólicas, físicas e emocionais.  Assim, cada mudança é necessária para que esta nova mãe consiga atender todas as demandas características do período gestacional, do parto e do período pós parto. Dentre as principais alterações, é possível destacar o aumento da liberação de estrógeno e de progesterona; a alteração no tempo de reação e equilíbrio.; alterações nos processos emocionais e cognitivos, como insônia, ansiedade e outros.  Além do aumento das mamas, da frequência cardíaca e do volume de sangue.

 

 

Em geral, as atividades mais procuradas pelas gestantes estão relacionadas à caminhada, yoga e hidroginástica. Esta última, em especial, consegue proporcionar o alívio da pressão nas articulações dos membros inferiores, o auxílio do retorno venoso e do sistema linfático. Entretanto, uma gestante saudável e adepta da musculação (ou de outras atividades) pode continuar o seu treino tranquilamente desde que siga todas as orientações do professor e respeite os novos limites do corpo. Para proporcionar um atendimento diferenciado, a Bodytech oferece o BT Care, programa que foi criado com o objetivo de trazer saúde e bem-estar aos clientes que tenham alguma condição especial, como é o caso das mulheres grávidas. O intuito é melhorar a qualidade de vida durante a gestação através de uma grade de exercícios físicos e seguros que respeitam a individualidade e o processo gestacional.

“A primeira coisa que a gente pede é que a grávida converse com seu médico para que ele libere a atividade física. Depois disso, a gente vai conversar um pouco com ela para auxiliar na escolha da atividade ideal para o momento em que ela está. No programa Care faz uma anamnese e faz um programa de treinamento para cuidar mais de perto da grávida. Muitas se sentem em um momento delicado, com a autoestima baixa porque em muitos casos o corpo muda muito, ficam acima do peso. Então, a gente usa um pouco da psicologia também. Indicamos atividades com pouco impacto, como por exemplo a musculação, hidroginástica, aulas de alongamento, pilates, yoga”, afirma a professora de educação física Alline Lustosa.

Para a prática de atividades físicas é primordial o acompanhamento de um profissional de educação, com isso, na Bodytech todos os professores estão atentos ao equilíbrio postural, intensidade dos exercícios e frequência cardíaca. “Adotamos várias precauções, em especial a questão da intensidade do exercício, a duração da atividade física que ela vai fazer. Sempre aconselhamos que ela use um monitor cardíaco para nós ficarmos acompanhando a frequência dos batimentos dela para evitar que tenha alguma alteração na pressão arterial e que isso possa afetar ela e o bebê. As mulheres que já praticam atividade de impacto, como corrida e jump, antes de engravidar suportam bem. Mas nos casos em que a grávida era sedentária antes da gravidez, não aconselhamos. Também evitamos exercícios em que a mulher necessite ficar de barriga para baixo, por exemplo, por conta da tendência de ter diástase abdominal e esses exercícios podem aumentar mais, o que pode deixar a barriga mais flácida depois do parto”, finaliza a profissional.

Grupo Carvalho promove Café com Elas

 

Moov Watches conquista o mercado piauiense de acessórios

Dieta lowcarb pode causar perda de energia e danos ao organismo

 

Início de ano geralmente é a época em que mais se procura pela dieta ideal para voltar ao peso, se livrar dos quilinhos a mais das festas em família e do carnaval. A dieta lowcarb – restrição forte ao consumo de carboidratos – é uma das mais procuradas nos dias de hoje. Se você digita “dieta lowcarb” nos sites de busca, encontrará diversos anúncios e opções de cardápios. Mas todo cuidado é pouco.

A nutricionista Alessanda Gayoso Fontenelle, do Hapvida Saúde, alerta para os riscos de se adotar uma dieta restritiva. Segundo a profissional, nem todo mundo pode adotar uma medida drástica como cortar o carboidrato no dia a dia. “Essa dieta dever ser acompanhada por um nutricionista, pois essa restrição de carboidrato pode não ser o melhor caminho para emagrecer, além disso os carboidratos são fontes de energia, e é fundamental ter uma dieta equilibrada”, destaca.

 

A nutricionista Alessanda Gayoso Fontenelle

 

Os carboidratos são fontes de glicose no organismo. Quando é consumido de forma exagerada, o nível de glicose aumenta e ela passa a ser reservada em forma de gordura, sendo eliminada antes de se acumular em forma de banha, caso seja consumida pelo organismo antes da próxima refeição.

Para que o organismo consiga fazer essa queima rápida ele precisa liberar um hormônio chamado glucagon, que retira a energia acumulada. Quando a dieta é rica em alimentos com carboidratos, o organismo registra diversos picos de insulina e, por vezes, eles estão tão altos que o glucagon nunca é devidamente liberado. Se o glucagon não for ativado, a gordura acumulada não será queimada. Isso significa que não haverá perda de peso.

Por isso, a nutricionista recomenda que essa dieta só seja feita por praticantes de atividades físicas. “Ela normalmente é recomendada para os que têm boa saúde e são praticantes de atividade física. Sem orientação pode causar danos à saúde, seja pelo excesso de proteínas ou pela falta de energia. Procurar sempre um profissional para adaptar a dieta ao organismo é o primeiro passo para ter sucesso na dieta”, afirma.

Desfile da Mundoposto – Fotos: Márcia Bulamarqui

 

Música de Naeno é ganhadora do Festival Sanfonia

A canção de Naeno Rocha, “Morena Chama”, interpretada por Marinaldo do Forró foi a vencedora do Festival Sanfonia, I Festival de Forró Pé de Serra do Piauí, que aconteceu nos dias 27, 28 de fevereiro e 01 de março, no espaço de eventos do Teresina Shopping. O segundo lugar, ficou com a canção “Vai Valer”, de Alexandre Rabelo e Ivan Silva e o terceiro colocado,  foi a música  “Da raiz da gente, de Tetê Frota, na voz do cearense, Thesco Oliveira.

O festival premiou ainda os artistas: melhor triagueiro, Maísa, o melhor zabumbeiro, José Neto, melhor sanfoneiro, Ivan Silva e melhor interprete, Nilson Cronemberguer, distribuindo R$ 10 mil em premiação.

 

Com 17 anos de carreira, Marinaldo do Forró se emocionou ao receber o troféu e agradeceu ao Naeno pela excelente qualidade da canção interpretada por ele e aos músicos que ajudaram na conquista. “O Piauí precisava de um evento como esse, valorizando este incrível gênero musical. Estou muito feliz pelo resultado”.

Ivan Silva também agradeceu pela parceria com Alexandre Rabelo e falou um pouco do cenário musical do forró pé de serra, no Estado. “As coisas vão evoluindo e as pessoas tendem a deixar um pouco de lado duas raízes e assim aconteceu com o forró pé de serra, por isso é necessário ter mais eventos como este para resgatar a nossa cultura e valorizar este gênero musical tão importante para os nordestinos”.

De Sobral, no Ceará, Tchesco Oliveira se disse honrado por estar participando de uma festa tão bonita e que exalta o forró pé de serra. “Esse é um legado do Rei, Luiz Gonzaga, estamos colhendo o milho que ele plantou. O Piauí, está de parabéns, por promover um evento tão organizado e dessa qualidade para os músicos do forró pé de serra, do Brasil”.

 

Tchesco Oliveira – 3 lugar

Com participantes de quatro Estados: Piauí, Ceará, Maranhão e Pernambuco, o Festival Safonia reuniu grande público nos três dias de eventos.  Com 40 anos na música, o sanfoneiro, Bento Raimundo, de Crateús, inscreveu sua música no festival e conta que ficou sabendo do evento pela internet. “Foi uma prazer imenso participar do Sanfonia, os organizadores estão de parabéns pela qualidade da festa e organização e pela iniciativa de promover a música nordestina, valorizando o forró pé de serra”.

Os curadores do festival, Chagas Vale e Gonzaga Lu estavam felizes com a repercussão e o grande sucesso do primeiro evento de forró pé de serra, do Estado. “A música tem o poder, a magia de reunir pessoas de diferentes classes sociais. Foram três dias que vão ficar para história e fazer história na música piauiense, por que com certeza, outros festivais virão”, garantiu Gonzaga Lu.

Chagas Vale reinterou as palavras do amigo e parceiro de evento e disse que o amor pelo forró pé de serra uniu muitas pessoas, no Piauí. “Tivemos uma repercussão muito grande, inscrições de vários Estados, como Goiás e Rio de Janeiro e estamos muito felizes pelo sucesso do festival. Por ser o primeiro, não esperávamos tanta repercussão positiva. Os músicos, compositores estão de parabéns, nos ajudaram a fazer uma festa linda com grande qualidade musical e técnica e com certeza teremos outras edições.

 

Claudia Roberta veio assistir dois dias de evento e disse estar maravilhada com a qualidade das músicas e com a organização. “Teresina precisa de mais eventos como este, eu adoro o forró pé de serra e o festival foi maravilhoso”. Também na plateia do festival, Viviane Lima também falou da organização do festival e disse ainda que em Teresina não há mais lugar para curtir um bom forró nordestino. “Eu sou amante desse gênero musical e infelizmente, Teresina não possui mais casas de forró pé de serra. Aproveitei esse momento tanto para curtir os shows como para rever amigos. Espero que tenha outras edições. Nossa cidade precisa e merece”.

Na programação do festival ainda tiveram shows da Orquestra Sanfônica Seu Dominguinhos, Chagas Vale, Banda de Pífanos Caju Pinga Fogo, Gonzaga Lu, Giber Roney, Valdeci da Rabeca, Wanya da Rabeca e o encerramento ficou por conta do sanfoneiro cearense, Adelson Viana.

O 1° Sanfonia é uma realização da Colônia Gonzaguiana com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura, através do Sistema de Incentivo Estadual à Cultura – SIEC.

Reunião do Clube Elas

Bobstore lança Outono 2018 sob nova coordenação

Para criar o Outono 2018, a BOBSTORE olha para dentro e reforça o DNA da marca em um cenário inspirado pelas antigas monarquias. Focada em seus clássicos, de estética contemporânea e sofisticada, a coleção traz referências vintage e artesanais para as novas peças.

 

André Boffano e Samuel Santos, designers à frente da mineira MODEM, que agora encabeçam o time de estilo da BOBSTORE, apresentam a nova coleção focada na releitura das peças-chave da marca, com um olhar mais clean e fresh, englobando detalhes do universo de reis e rainhas para a nova estação.

O tricô off white possui decote em V e mangas com boca de sino, trazendo mais charme ao look

A alfaiataria e o tricô aparecem em modelagens reformuladas, com design moderno destacando a silhueta feminina, finalizados com laços, recortes, mangas bufantes e tecidos fluidos com padronagens que estampam brasões e coroas, que simbolizam também a arquitetura da época.

A cartela de cores segue os tons clássicos da grife, com os tons de bege e cinza, e outros mais sóbrios que se combinam com cores fortes, como o bordô, vermelho, e magenta, aparecendo também nos looks monocromáticos, seguindo a tendência do tonalismo.

 

O shorts de couro ecológico fica ainda mais charmoso com seu detalhe de laço

 

Os sapatos e bolsas são trabalhados em couro em tons coringas, como o preto e o caramelo. Com shapes geométricos, os acessórios metalizados se misturam entre o níquel e o rosé

 

A regata de tricô é perfeita para meia estação! Ela pode ser usada sozinha ou como um colete, com uma peça de manga longa por baixo

A atriz Sophie Charlotte protagonizou a campanha da coleção Fall 18

Fernanda Souza encena Meu Passado Não Me Condena em THE

Fernanda Souza encena Meu Passado Não Me Condena em Teresina (CELSO FONSECA/DIVULGAÇÃO)

 

No dia 23 de março a atriz Fernanda Souza traz a turnê da sua peça “Meu passado me condena” para o Theresina Hall. Com quatro anos em cartaz, o espetáculo já foi assistido por mais de 1 milhão de pessoas.

No Palco, Fernanda abusa da comédia para narrar histórias da sua trajetória nas telinhas. No estilo stand-up comedy, a atriz conta bastidores de suas participações em produções que vão desde Chiquititas, no SBT, até o humorístico Toma Lá Dá Cá, da TV Globo, entre outros como fama, relação com amigos, viagens e até o início do namoro com o cantor Thiaguinho. Escrito por Fernanda Souza em parceria com o produtor Léo Fuchs, a montagem tem direção Pedro Vasconcelos.

Atualmente, a ex-global vem investindo na sua carreira de apresentadora, comandando o programa Vai, Fernandinha, no canal Multishow, que já tem terceira temporada garantida.  No Youtube, Fernanda compartilha sua rotina e realiza tags e entrevistas com amigos como Bruna Marquezine, Ivete Sangalo, Preta Gil e Felipe Neto.

 

Mais informações sobre o show no site www.tudus.com.br

 

Amauri Jucá se apresenta sexta-feira na Praça dos Orixás

A noite da próxima sexta-feira (2) será de muita diversão e risada no Parque Lagoas do Norte. O humorista Amauri Jucá sobe ao palco da Praça dos Orixás com o espetáculo “De graça na Praça”. O evento começa a partir das 19h.

“Ficamos muito felizes em poder, mais uma vez, trazer o espetáculo do Amauri Jucá para o Parque Lagoas do Norte. Na primeira vez, a comunidade veio, se divertiu e abraçou a ação. Agora, ele retorna com um novo espetáculo para garantir boas risadas do público”, afirma a gerente do Parque Lagoas do Norte, Viviane Bandeira.

 

O show de Amauri Jucá começará a partir das 19h

 

No show, o humorista levará ao público uma mistura dos principais espetáculos e piadas inéditas. O espetáculo, que também terá paródias sobre o dia a dia, é voltado para crianças, jovens e adultos. “Será um show para toda família e quem for ouvirá muitas paródias, e a risada é garantida”, comenta Amauri Jucá.

 

O show “De graça na Praça” é gratuito e será realizado na Praça dos Orixás, localizado na Rua Jim Borralho, bairro São Joaquim, zona Norte de Teresina.

 

Aniversário de Elizabeth Veras

 

 

Festival Sanfonia começa amanhã (27) e reúne músicos do Piauí, Maranhão, Ceará e Pernambuco

Músicos do Piauí, Maranhão, Ceará e Pernambuco estarão reunidos nos dias 27, 28 de fevereiro 01 de março, no primeiro Festival de Forró Pé de Serra do Piauí – Sanfonia. O evento que irá promover a música nordestina acontecerá no espaço de eventos do Teresina Shopping e distribuirá R$ 10 mil em premiação.

O festival terá duas classificatórias, com 12 participantes cada, onde cada dia serão escolhidas seis músicas que disputarão a final. A premiação para os três primeiros colocados são: R$ 4 mil, R$ 3 mil 3 R$ 2 mil. O melhor intérprete, melhor sanfoneiro, melhor zabumbeiro e melhor triangulista também serão premiados no evento.

Além da disputa musical, todos os dias haverá shows para o público.  Na programação do primeiro dia terá apresentações da Orquestra Sanfônica Seu Dominguinhos e Chagas Vale, no dia 28, quem se apresenta é a Banda de Pífanos Caju Pinga Fogo e Gonzaga Lu. No dia 01 de março, a grande final, terá como atração musical Wanya e Valdecir da Rabeca e o sanfoneiro Adelson Viana.

 

Adelson Viana

 

O projeto tem a curadoria do produtor cultural Chagas Vale e do músico Gonzaga Lu. Na reta final para o Festival, os curadores estão com as melhores expectativas sobre o evento. “Ficamos muito otimistas com a quantidade de inscrições que recebemos, foram mais de 80 músicas vindas de seis Estados:  Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Maranhão, Ceará e Piauí, todas as composições foram de excelente qualidade”, destacou Chagas Vale

Das 80 músicas inscritas, 36 foram pré-selecionadas e os jurados, atribuíram notas de 0 a 10, para assim chegar a quantidade de 24 canções que estarão no Sanfonia. Foram avaliados a qualidade da letra e melodia.

Chagas Vale se mostrou surpreso quanto a repercussão do Festival fora do Piauí “Sendo o primeiro festival fiquei surpreso e feliz com a repercussão em outros Estados, que se deu através da internet, redes sociais, grupos de Whatsapp. Muita gente se inscreveu e outros perderam a inscrição por que não atentaram para o prazo. Estamos muito contente com o resultado do festival e com a qualidade das músicas inscritas. Com certeza será um grande evento musical”, garantiu.

 

Wanya da Rabeca

 

Gonzaga Lu conta que a ideia do festival era fazer um evento para levantar a bandeira do forró pé de serra, mostrando que o Piauí pode fazer coisas boas dentro da música e resgatar a cultura do forró pé de serra, no Estado. “O evento irá reunir muitos músicos dentro do segmento pé de serra. Por ser o primeiro festival estamos com uma boa repercussão, músicos de qualidade e canções inéditas. Com certeza irá revelar novos e grandes talentos do forró genuinamente nordestino”.

O 1° Sanfonia é uma realização da Colônia Gonzaguiana com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura, através do Sistema de Incentivo Estadual à Cultura – SIEC e visa promover a música piauiense contribuindo para o fortalecimento da arte musical, valorizando o músico e possibilitando aos artistas participantes  a oportunidade de lançar-se no mercado profissional, além de oferecer ao público shows de boa qualidade, promovendo intercâmbio entre os músicos do Piauí com os outros artistas de diferentes Estados que estarão participando do evento.

Orquestra Sanfônica

 

Programação Festival Sanfonia

27 de Fevereiro

Orquestra Sanfônica Seu Domiguinhos

Chagas Vale

28 de Fevereiro

Bando de Pífanos Caju Pinga Fogo

Gonzaga lu

01 de Março

Wanya e Valdeci da Rabeca

Adelson Viana

Novidades fitness no Piauí com a rede de academias Bluefit

Com 28 unidades por todo Brasil em menos de dois anos no mercado, a rede de academias Bluefit é pioneira no modelo low cost somado a uma oferta de atividades que incluem aulas, lutas e academia tradicional. A rede apresenta para o verão três parcerias inéditas que vão tornar os treinos mais dinâmicos.

Um programa de aulas, da empresa Les Mills + Body Systems, a FitDance e o ICG Connect da Life Fitness são as três novidades na grade de aulas da rede que estão sendo implantadas em todas as unidades.

A FitDance, assim como a Bluefit, usa uma proposta inclusiva composta por coreografias atuais que estão em alta no momento, levando em conta todos os estilos musicais. A aula dura 30 minutos e é didática, para que todos os alunos acompanhem e evoluam.

Quem pratica se movimenta, dança e agita tanto o corpo quanto a mente, elevando o bem-estar. Essa modalidade cresce cada vez mais, conquistando fãs por todo Brasil, por ser uma maneira animada de se exercitar.

Novidade: experiência de ciclismo indoorinterconectada

 

Desenvolvido pela Life Fitness, líder mundial em equipamentos de ginástica comercial, o ICG Connect proporciona a experiência de ciclismo indoorinterconectada. As interfaces de usuário e as animações, compartilhadas pelo computador da bicicleta do usuário ao celular ou tablet do instrutor, facilitam a orientação e o seguimento de instruções e criam uma prática de treinamento envolvente.

software traz quase 30 maneiras diferentes de propor desafios à turma, como colocar os alunos para pedalar com o grupo ou em batalhas entre os times para atingir os objetivos da aula, vencer disputas de equipe e bater recordes pessoais.

O exercício exige esforço, simula subidas, descidas e mudanças de velocidade ao pedalar conforme o ritmo da música. A atividade aeróbica proporciona alto gasto calórico e a pedalada promove tônus muscular e melhora do sistema cardiorrespiratório.

A Les Mills é líder de mercado e pioneira na criação de aulas coletivas, no Brasil possui dez programas para atender diferentes perfis. Além do Body Systemscom uma aula de POWERJUMP, a empresa apresenta também diferentes modalidades em áreas como yoga, pilates e artes marciais.

 

Modalidades inéditas prometem agitar a rotina dos amantes pela prática de atividades físicas

 

Esse plano de aulas surgiu com um sistema testado e revisto por inúmeros profissionais da área da saúde, fisiologistas, psicólogos, terapeutas, entre outros. A cada três meses as aulas são entregues aos professores da Bluefit para serem lançadas na rede com novas músicas e coreografias.

Atendendo diferentes perfis, para quem gosta de treinos mais intensos o BODYATTACK é baseado em movimentos do atletismo e o POWERJUMP, com o mini trampolim, é uma aula mais divertida, porém, com resultados comprovados. Tem também o BODYBALANCE para os mais holísticos, que se baseia no yoga, pilates e tai-chi.

BODYPUMP por sua vez é um treinamento com barras e anilhas e ajuda a desenvolver força, queima calorias e cria resistência muscular em seus praticantes, tudo isso ao efeito repetição que é comprovado cientificamente no alcance de resultados.

Agora, quem gosta de Luta, a pedida é o BODYCOMBAT que se baseia nas artes marciais – capoeira, jiu-jitsu, boxe, muay-thay, entre outras – sem utilizar contato físico ou equipamentos.

Todas as aulas Les Mills atendem as mais fortes tendências de mercado como o HIIT, treinamento intervalo e funcional.

Sobre a Bluefit

A Bluefit é uma rede de academias, com atuação no mercado desde 2015. A rede defende o investimento consciente em saúde e bem-estar, oferecendo o melhor custo-benefício atrelado a uma ampla variedade de serviços, com o objetivo de levar qualidade de vida e saúde para o maior número de pessoas possíveis, sempre pautados pela preocupação e cuidado com o cliente. A rede está presente nas regiões Sul e Sudeste do País, com 28 unidades ao todo.

 

Poltrona Mole do design Sergio Rodrigues completa 60 anos e ganha homenagem

 

A loja Lilia Casa, que é referência no melhor do design e decoração no Estado, promoveu este mês um happy hour para lançamento da nova vitrine e em comemoração aos 60 anos da poltrona Mole do design Sergio Rodrigues. As arquitetas Anelise Carvalho e Alexandra Martins foram as responsáveis pela ambientação da vitrine brasileiríssima.

 

Poltrona Mole na Loja Lilia Casa

 

Sergio é, sem dúvida alguma, uma das mais admiráveis expressões do design em nosso país. O traço coerente e único inscreveu seu nome na história do design do século 20, sobretudo pela criação de uma grande variedade de produtos, dos quais o mais famoso é a Poltrona Mole.

Criada em 1957 pelo arquiteto carioca Sérgio Rodrigues, a cadeira Mole até hoje faz sucesso como um dos grandes ícones do design moderno.

 

Em uma época na qual predominavam os pés palito na produção moveleira nacional, o designer Sérgio Rodrigues pensou em um móvel para expressar a identidade brasileira, com pés bem torneados, com muita madeira, couro e características que mais tarde, viriam a consagrá-lo como ícone do design brasileiro.

O sociólogo Odilon Ribeiro Coutinho chega a afirmar que a Mole foi o primeiro objeto de arte “irredutível” brasileiro, que não imitava o colonizador. “É uma síntese admirável do espírito brasileiro.”

Convidado para participar do Concurso Internacional do Móvel de Cantu na Itália, em 1961, Sérgio inscreveu a poltrona e foi o grande vencedor da premiação, fato fundamental para projetar o Brasil no cenário internacional do design.

 

Em seus 60 de sucesso, a Lilia Casa presta a homenagem e você pode conferir de perto o móvel, mas antes conhecer mais sobre a história da Poltrona Mole.

Com a palavra, Sérgio Rodrigues

“É uma poltrona superpreguiçosa. Na época, eu tinha na cabeça a ideia de fazer uma peça que pudesse ficar em qualquer ambiente, que não fosse uma cama nem um colchão, mas bem confortável. Quando o Otto Stupakoff me pediu uma peça para o estúdio dele, imaginei um apartamentinho bem pequeno e pensei em um sofá que não fosse parecido com uma cama ou um sofá-cama, mas que fosse tão confortável quanto. A poltrona Mole começou sendo, na verdade, um sofá (para dois lugares). Na hora de pagar, o Otto disse que não tinha nenhum dinheiro, mas ofereceu uma fotografia de caráter internacional para o lançamento do sofá. Eu topei, e, como o estúdio dele não tinha um fundo infinito, dei a ideia de levarmos a peça para a praia. Naquela época, havia pouca gente no Leblon e, quando a maré estava baixa, a areia ficava plana, maravilhosa. Colocamos lá o sofá e o Otto foi arrumar a câmera. Mas demorou tanto que o mar veio com força total e molhou o sofá inteiro. Mesmo assim, ele foi inaugurado com sucesso.

 

Sergio é, sem dúvida alguma, uma das mais admiráveis expressões do design em nosso país

 

Na época, era moda ter o sofá e as poltronas combinando. Muita gente pedia e resolvi fazer um sofazinho de um lugar, que virou a poltrona Mole. Mesmo assim, a poltrona ficou um ano na vitrine sem nenhum comprador. Eu acreditava nela, mas os meus sócios pediram para colocá-la no fundo da loja. Foi quando ela foi comprada pela diretora do Museu de Arte Moderna do Rio. Eu fui ver onde ela ia ficar, entrei em uma galeria de arte, com peças perfeitas da Bauhaus, e lá estavam as minhas poltronas. Foi quando eu comecei a acreditar no sucesso delas. Depois disso, o Roberto Marinho comprou mais duas para o seu iate. Eu nunca imaginei que ia ganhar prêmios ou que a poltrona fosse ficar famosa. Eu só queria algo confortável.

 

 

O nome da poltrona surgiu, na verdade, dos operários da fábrica. O protótipo estava sendo feito e eu recebi uma ligação logo cedo dizendo que o conde estava dormindo no sofá e roendo os pés daquela poltrona molenga. Não entendi nada. Eu tinha um sócio que era conde na Itália, mas ele não ia estar roendo o sofá, né? Quando cheguei lá, descobri que o cachorro que ficava vigiando a fábrica é que se chamava conde. E a poltrona continuou sendo chamada de molenga, mole.

 

A poltrona se tornou símbolo do design brasileiro porque o sucesso continuou lá fora. Depois de ganhar o Concurso Internacional do Móvel em Cantù, na Itália, o pessoal dizia que era a única peça brasileira que não era um rabisco tropicalista. Era uma peça que tinha valor. Eu sempre dei muita atenção ao acabamento da madeira, desde quando fazia brinquedos na infância.”