Lavar o cabelo todos os dias faz mal?

Existe uma dúvida que ronda a cabeça de muitas pessoas constantemente: “É recomendado ou não lavar os cabelos todos os dias? Isso faz mal?”. Muitos consideram essa prática diária prejudicial os fios, deixando-os ressecados e consequentemente causando danos. Contudo, a outra parcela acredita que lavá-los todos os dias irá garantir cabelos saudáveis e limpos.

Este é um tema um pouco controverso, porque não existe uma regra rígida e unânime para todos quanto à assiduidade na lavagem. Isto porque o aconselhado na periodicidade dependerá de vários aspectos, como o tipo de cabelo, hábitos pessoais, além dos fatores externos como: prática de esportes, contato diário com água salgada e outros, que influenciam a frequência adequada de higienização deles.

O que predomina entre os especialistas é que comumente o ideal é haver uma certa alternância, ou seja, dar uma pausa, em média, de 1 a 2 dias para a lavagem. Cabelos secos podem realmente sofrer mais ressecamento se lavados diariamente devido à perda do óleo que recobre o escalpe (couro cabeludo). Já as pessoas que tem cabelos oleosos são mais propensos a higienizar o cabelo repetidas vezes por causa do acúmulo de gordura, suor e impurezas, agravadas pelo ambiente.

No entanto, é válido destacar que excesso de limpeza costuma remover a camada oleosa natural que protege e mantém o equilíbrio e a saúde do couro cabeludo, chamada de manto hidrolipídico. Esse processo constante favorece ainda o efeito rebote, ou seja, estimula a produção de mais oleosidade, o que prejudica aqueles que apresentam ou têm predisposição, por exemplo, a dermatite seborreica e a caspa.

Cuidados para quem lava os cabelos diariamente

Para quem quer optar em lavar os cabelos todos os dias a indicação é aplicar sempre produtos de qualidade e apropriados ao seu tipo de cabelo e sempre enxaguar bem, para evitar que resíduos permanecem nos fios. Além disso, é fundamental ressaltar que o exagero no uso de produtos na pré ou pós-lavagem tendem a deixar o cabelo mais rapidamente sujo e pedem mais limpeza.

Porém, em alguns casos é recomendada a lavagem diária, pois determinadas condições interferem e afetam a saúde capilar. Dentre eles, está a questão climática, tais como calor e umidade. Pessoas também que frequentam a academia, praticam atividade ao ar livre e se expõem ao sol estão sujeitos a acumular mais resíduos, poluição e a transpirar. Para estes a higienização habitual é necessária. Já os que fazem uso constante de pomadas, silicones, leave-in sprays, fixadores, modeladores, géis, entre outros, ficam com fios permeados de substâncias químicas e assim precisam limpar sempre os cabelos.

Mas, independente da sua escolha, um ponto em comum para todos os médicos dermatologistas e tricologistas é que a temperatura da água durante a lavagem é essencial para os cabelos ficarem bonitos. Ela deve ser morna ou fria. Outra questão bastante importante são os cuidados na hora da secagem, que preferencialmente deve ser realizada de forma natural para que o couro cabeludo “respire”. Por isso, não pode ter dispositivos que o abafem, como toalhas enroladas, ou bonés e chapéus sobre os fios úmidos, além de não se prender os cabelos enquanto estão molhados. Tudo isso respectivamente facilita a proliferação de fungos e bactérias e também gera quebra e queda.

 

 

Fonte: Minha Vida

9 dicas para uma pele saudável sob o sol

Com a chegada do verão, os cuidados com a pele (nunca é demais repetir) devem ser redobrados. É importante a conscientização do risco do câncer de pele e o alerta para prevenção. Por isso, listamos nove dicas para você curtir o melhor da estação sem colocar sua saúde em risco.

 

Chegou o verão e atenção para os cuidados com a pele

 

1. Escolha um bom filtro para o rosto e outro para o corpo. Consulte seu dermatologista e descubra qual o melhor para você, de acordo com seu tipo de pele. O mercado oferece uma infinidade de marcas, texturas, ativos, fatores de proteção e outros benefícios. Protetores físicos que contêm óxido de zinco e/ou dióxido de titânio conferem maior proteção por criar uma barreira na pele onde os raios UV não são absorvidos – são mais recomendados para quem apresenta reação alérgica a cosméticos

2. Quem tem melasma – aquelas manchas acastanhadas principalmente na face – deve optar por filtros com FPS acima de 50, reaplicá-los a cada duas horas e dar preferência para as apresentações com cor, que camuflam as manchas e oferecem proteção extra por serem fotoprotetores físicos.

 

3. Aposte nos autobronzeadores. A última tendência são as formulações desenvolvidas para serem aplicadas antes de dormir, resultando em um bronzeamento natural na manhã seguinte. A diferença principal entre os de uso noturno e os autobronzeadores comuns está na composição. Os primeiros são formulados à base de óleos essenciais, vitaminas e superativos que agem no período noturno, quando ocorre a regeneração celular cutânea

 

4. Aproveite os dias de folga e marque uma consulta com o dermatologista. Ele poderá analisar pintas e sinais suspeitos e rever sua nécessaire de produtos de uso diário, trocando, por exemplo, alguns dermocosméticos em veículo creme por texturas mais fluidas, como gel ou musse oil free, que oferecem maior conforto em temperaturas mais altas. Ele pode prescrever procedimentos em consultório que podem ser feitos mesmo durante o verão, como determinados peelings e lasers mais superficiais e pouco agressivos.

 

 

5. Não basta cuidar só dos cabelos. É preciso ter atenção também com a saúde do couro cabeludo. Trata-se de uma área que tende a ficar ainda mais sensibilizada devido ao uso constante de produtos químicos, secador, colorações e tinturas (sem mencionar a maior exposição aos raios solares nesta época do ano). Queixas como oleosidade excessiva, coceira, vermelhidão e descamação devem ser investigadas e tratadas. No verão, o couro cabeludo costuma ficar mais oleoso e os fios, mais ressecados. O dermatologista indicará que produtos usar

 

 

6. Uma pele bonita e saudável requer a ingestão de 2 litros de água por dia. Ela ajuda o organismo a eliminar as impurezas e melhora a circulação sanguínea. Favorece ainda a absorção dos nutrientes necessários ao equilíbrio celular e apresenta função hidratante, garantindo uma pele com mais elasticidade e menos rugas

 

Beba bastante água

7. Um mês antes de viajar à praia, potencialize a proteção de sua pele com o uso de nutricosméticos orais. Uma tendência lá fora que já está desembarcando por aqui são as bebidas esportivas à base de vegetais e plantas, como cactos, gengibre, pepino, melancia, aloe e alcachofra. Suas fórmulas são ricas em água, isentas de açúcar e pouco calóricas. Além disso, oferecem propriedades antioxidantes e reabastecem os níveis de eletrólitos do organismo, perdidos com a transpiração. Aumente o consumo de alimentos ricos em betacaroteno. Presente nas frutas e legumes de coloração amarela ou laranja e nas folhas verde-escuras, ele apresenta propriedades antioxidantes e confere um tom bronzeado e saudável à pele, protegendo-a contra os efeitos nocivos dos raios ultravioleta

 

 

8. Ao praticar esportes ao ar livre, redobre a proteção com o uso de chapéus, viseiras e roupas feitos com tecidos especiais, que filtrem os raios nocivos do sol

 

 

9. Cuidado com o consumo de cítricos, como frutas ricas em vitamina C in natura, sucos, batidas e drinques. Elas contêm substâncias que, expostas ao sol, podem causar queimaduras e manchas escuras e resistentes na pele – a fitodermatose. Caso sua pele tenha contato com o suco de frutas cítricas, lave imediatamente o local com água e sabão e saia do sol.

 

Consuma alimentos cítricos, como frutas ricas em vitamina C

 

Fonte; MSN/Forbes