Teresina deve ganhar Centro de Referência sobre a História do Piauí

O presidente da Academia Piauiense de Letras (APL), Nelson Nery Costa e o presidente do Instituto Histórico e Geográfico Piauiense, professor Fonseca Neto, estiveram reunidos na segunda-feira, 08 de janeiro, com o governador Wellington Dias no Palácio de Karnak. Na ocasião, os líderes convidaram o Chefe do Poder Executivo Estadual para participar das comemorações de 100 anos das instituições e trataram da criação de um Centro de Referência em Informações sobre a História do Piauí. O projeto ficaria localizado na Rua Álvaro Mendes, na região central de Teresina. “Nós viemos destacar um projeto em parceria com o Instituto Histórico e Geográfico para a gente participar dessa recuperação do Centro de Teresina, o município está fazendo muito esforço, o próprio Estado através da Secretaria de Cultura está buscando recuperar muitos espaços no Centro, o próprio prédio da Secult, o museu da imagem e do som, e a Academia junto com o Instituto gostaria de participar desse projeto”, apontou Nelson Nery.

 

O presidente da Academia Piauiense de Letras (APL), Nelson Nery Costa e o presidente do Instituto Histórico e Geográfico Piauiense, professor Fonseca Neto, estiveram com o governador Wellington Dias

O projeto ousado propõe um resgate histórico no Piauí, difundindo as informações para toda a sociedade. A ação foi bem recebida pelo governador, que buscará viabilizar a concessão do espaço para a implantação do Centro de Referência. O presidente da Academia Piauiense de Letras, Nelson Nery Costa, indicou que a intenção é contribuir no processo de recuperação do centro da capital piauiense. Diante disso, o presidente do Instituto Histórico e Geográfico Piauiense, Fonseca Neto, reiterou a importância do novo projeto para a propagação da pesquisa histórica local e a otimização dos espaços no centro da cidade. “Nós temos uma proposta concreta de dotar o centro de Teresina com mais um equipamento cultural, num desses prédios antigos do Centro da cidade que são propriedade do próprio Estado, nós entendemos que alguns prédios antigos devem ser ‘refuncionalizados’ para que o Centro histórico tenha vida, um deles é o antigo prédio onde funcionou o Tribunal de Contas do Estado, na Álvaro Mendes”, disse.

Fonseca Neto também sinalizou que o Centro de Referência marcaria os 300 anos da criação da capitania do Piauí. “Esse prédio é muito bonito e nesse momento está sem função, então estamos pedindo ao governador que nos autorize a ocupar esse espaço, criando um Centro de Referência em Informações sobre a História do Piauí aproveitando esses 300 anos da criação capitania do Piauí e que ali seja mais um ponto de referência de difusão da pesquisa histórica do Estado, de expansão das literaturas, um centro cultural que possa chamar outras instituições culturais para animar o centro de Teresina”, finalizou.

 

 

APL faz homenagem ao escritor Paulo Freitas

Os imortais da Academia Piauiense de Lestras preparam uma homenagem ao escritor Paulo Freitas, ocupante da cadeira número 24, falecido no dia 23 de janeiro. O panegírico, que acontecerá no próximo sábado (11), será conduzido pelo imortal Celso Barros Coelho, que foi cunhado de Paulo Freitas.
Paulo de Tarso Mello e Freitas foi desembargador e escritor. Sua atuação na literatura foi especializada na área do Direito. Entre as principais obras escritas por Paulo Freitas estão “Crime e Latrocínio”; “O Menor no Direito do Trabalho”; “Sentenças no Cível”; e “Sentenças no Crime”. O magistrado fazia tratamento contra o Alzheimer e sofria de infecção urinária.
Com o desaparecimento do acadêmico, regimentalmente a Academia faz o panegírico, que é um momento de homenagem ao acadêmico falecido. A família, os filhos e amigos de Paulo Freitas estarão presentes. “O panegírico é um evento em se faz uma elegia à memória de um falecido e é uma tradição da Academia fazer essa saudação sempre que um acadêmico falece. Nesse caso, é uma cerimônia singela. O professor Celso Barros Coelho, que foi cunhado, amigo e irmão de fé de Paulo Freitas e é uma pessoa da geração dele, vai falar em nome da Academia”, explica Nelson Nery Costa, presidente da APL.
Depois da solenidade, uma eleição será marcada para que um novo membro ocupe a cadeira. Esse processo eleitoral é conduzido por uma comissão, que registrará as candidaturas e procederá os trâmites. Na data marcada, os 39 membros da APL poderão votar tanto presencialmente, para os que moram no Piauí, como através de voto enviado pelos Correios, para aqueles que moram em outros estados.