Dica da Nutri: Cuidados com a alimentação na Semana Santa

Dica de Saúde – Conheça os benefícios do peixe na alimentação da Semana Santa
No período da Quaresma muitas pessoas retiram da sua alimentação a carne vermelha e a substitui pela carne branca, por isso os preços desses alimentos tendem a subir nessa época do ano. Algumas dicas facilitam a escolha dos pescados e chocolates, para que o preço não pese no bolso.
Segundo a nutricionista, Larissa Waleria, na Semana Santa podemos optar por alimentos baratos e ricos em nutrientes. “É importante fazer boas escolhas na hora de montar o prato, podendo optar por peixes mais baratos e ricos em Ômega 3, como a Merluza, Corvina, Cavala, Dourado, Sardinha, Atum, além de Iscas de peixe”, destacou Larissa.
A nutricionista Larissa Waléria ressalta os cuidados com a alimentação no período da Semana Santa
O modo de preparo dos pescados deve ser de preferência assado, cozido ou grelhado, evite consumir peixes fritos. Utilize temperos naturais para preparar a carne, lembrando que é importante retirar o couro do peixe antes de consumi-lo, pois a gordura saudável está presente na carne.
O cuidado deve ser redobrado na hora de escolher as sobremesas, evitando as que possuem leite condensado e creme de leite. Quanto aos ovos de páscoa, o chocolate meio amargo é uma boa escolha, já que é mais saudável do que os outros por conter propriedades funcionais à saúde, contendo no mínimo 50%de cacau.

Virose da mosca: médico alerta que casos aumentam em 40% no período chuvoso

As chuvas intensas, características desse período no Piauí, trazem consigo a proliferação de muitos insetos, principalmente moscas e mosquitos. São eles os vetores de diversos tipos de doenças, que tendem a fazer mais vítimas nessa época do ano. Segundo o médico Maurício Paes Landim, diretor clínico do Hospital Rio Poty, as infecções causadas por moscas e insetos aumentam em cerca de 40% nesse período do ano. O especialista faz um alerta em relação aos fatores que causam essas infecções.

“As moscas são vetores de uma série de doenças, como verminoses, viroses, que podem causar infecções intestinais, infecções de vias aéreas superiores. Então, nessa época de chuva, há uma multiplicação desses vetores e é preciso acentuar os cuidados elementares, como cobrir os alimentos quando eles forem à mesa e no momento do preparo, lavar a mão, que é o cuidado que depende de cada um e é muito fácil, barato e simples de ser executado para que essas bactérias e vírus, principalmente as viroses intestinais que são tão comuns nas crianças não progridam e não aumentem sua prevalência”, afirma Maurício Paes Landim.

 

O médico Maurício Paes Landim, diretor clínico do Hospital Rio Poty

É quando a mosca pousa no alimento que ela transmite diversas bactérias, fungos e vírus, aumentando ainda mais os casos da doença. Os sintomas podem ser febre, dor no corpo, desconforto abdominal, diarréia, coriza, moleza e ardência nos olhos. Em casos de infecções virais, os sintomas são mais brandos e costumam desaparecer em cinco dias. Já as infecções causadas por bactérias são mais severas, a febre e a diarréia costumam ser mais intensas.

Além dos cuidados com a higiene, o especialista destaca ainda a necessidade de algumas medidas para combater a infecção. “O tratamento é basicamente sintomático: hidratação, alimentação mais balanceada, repouso, alguns medicamentos para diminuir dores, febres, e, em algumas situações mais raras, pode ser necessário uso de antibióticos e internação do paciente para observação e medicamentos pela veia. Na maioria dos casos, o tratamento não tem muita necessidade de intervenção médica. Mas nos casos mais severos é necessário procurar um centro de saúde de referência para ser atendido por um profissional”, explica.

Especialista dá dicas para aproveitar o Carnaval com saúde e sem ressaca.

O Carnaval está começando e já tem muita gente animada para aproveitar a folia. No entanto, para não perder o pique e manter a saúde em dia é necessário ter alguns cuidados com a alimentação. O alerta é feito pela nutricionista Alessandra Fontenelle que fez um balanço dos alimentos que têm sinal verde (ou seja, podem ser consumidos sem restrições) e aqueles que têm sinal vermelho (que devem ser evitados) para aproveitar a maratona carnavalesca, seja nos blocos ou na passarela do samba, sem nenhuma preocupação.

A especialista do Hospital Rio Poty, situado na zona Norte de Teresina, indica alimentos leves e balanceados na folia, além disso ela orienta aos foliões o consumo de muito líquido, como por exemplo, sucos naturais e água de coco. Para quem exagera na bebida alcóolica, a recomendação é que intercale o consumo com água, frutas e barra de cereal, assim, evitando efeitos mais danosos. “Aconselho que intercale com água, frutas, barra de cereal para evitar um problema maior durante a folia pois com o consumo exagerado de bebida alcoólica o corpo passa por um processo de desidratação causando um problema maior”, frisou.

 

 

Aos foliões que passarão o carnaval no Piauí, a dica é não descuidar da hidratação, com as altas temperaturas, o cuidado deve ser redobrado, assim, eles poderão curtir a folia de momo na sua plenitude e esbanjando saúde. “Devido a nossas altas temperaturas, sol intenso o corpo precisa de cuidados com a hidratação, ingerir bastante água para que o corpo aguente os dias de folia”, indica Alessandra Fontenelle, nutricionista do Hapvida.

1. De quais tipos de alimentos os foliões devem se distanciar quando o assunto é manter o pique e pular o carnaval sem correr riscos de prejudicar a folia por causa de má alimentação?

Alessandra Fontenelle – Alimentos gordurosos, frituras devem ser evitados pelos foliões pois além de prejudicar a digestão, causa uma sensação de estudante, moleza além de azia provocando a mobilidade durante esse perigoso. Além deles devemos evitar alimentos preparados com maionese, molhos, creme de leite pois são muito perecíveis estragam facilmente e pode atrapalhar a diversão do folião.

2. Aqueles que obedecem dietas mais rigorosas o ano inteiro estão permitidos sair da dieta no período do Carnaval, assim como muitos fazem no Natal, ou é possível curtir a folia e manter os mesmos hábitos alimentares?

Alessandra Fontenelle – É possível sim pois consumindo alimentos mais leves, optando por frutas, sucos barrinhas de cereais, comendo de 3 em 3 horas e até consumindo carboidratos de boa qualidade o folião estará pronto para enfrentar os dias de folia.

3. Quanto aos líquidos? As pessoas costumam exagerar no consumo de bebida alcoólica e sofrem as consequências, que cuidados os que não abrem mão de beber devem tomar? Há alguma recomendação para amenizar os efeitos da ressaca?

Alessandra Fontenelle – Devido a nossas altas temperaturas, sol intenso o corpo precisa de cuidados com a hidratação, ingerir bastante água para que o corpo aguente os dias de folia. Em relação àquelas pessoas que costumam exagerar na bebida alcoólica aconselho que intercale com água, frutas, barra de cereal para evitar um problema maior durante a folia pois com o consumo exagerado de bebida alcoólica o corpo passa por um processo de desidratação causando um problema maior. Para amenizar os efeitos da ressaca o ideal é que o folião opte por ingerir muito líquido, investir nos sucos naturais, água de coco, frutas com bastante água, como melancia, tangerina, maçã e melão além de pratos leves e caldos.

4. No caso do Piauí com o nosso clima e hábitos alimentares de dias de festa como as comidas de rua, como os pratos tipo Maria Isabel e creme de galinha que fazem o famoso arrumadinho, alguma recomendação especial em relação a estes pratos e outros também muito consumidos na rua?

Devemos sempre ter cuidado com alimentos vendidos nas ruas, pois os alimentos que não estão em temperatura adequada se estragam com facilidade causando prejuízos. Além de ficar sempre atento às condições higiênicas do local, evite lanches produzidos em locais de procedência duvidosa. Geralmente alimentos vendidos em barraquinhas podem possuir diversos microrganismo que fazem mal à saúde. O ideal é sempre levar seu alimento, como uma barra de cereal assim poderá curtir o carnaval com segurança.

 Receita de um suco detox para curar a ressaca:

200 ml de água de coco

1 fatia de abacaxi

1 lasca de gengibre

Bate tudo no liquidificador e consumir imediatamente.

Marina Ruy Barbosa, Juliana Paes e Sabrina Sato brilham com maquiagem no Baile da Vogue

EUDORA foi a atração no quesito maquiagem na festa de pré-carnaval mais aguardada pelas celebridades e vips da capital paulista, o Baile da Vogue. O evento que aconteceu ontem (1), no Hotel Unique, teve a presença das musas Juliana Paes e Marina Ruy Barbosa, além de Sabrina Sato que apresentou as atrações da noite.

 

Além de looks com muito brilho e glamour, elas tinham em comum a maquiagem toda produzida pela marca Eudora, com destaque para os lábios das três celebridades que escolheram as cores Nude Camarim (Marina Ruy Barbosa e Sabrina Sato) e Rosa Passarela (Juliana Paes) da linha de Batom Lápis, #ColorMatte.

 

Sabrina Sato

 

“Meu carnaval esse ano vai ser muito mais colorido. Me apaixonei pelo batom , me deixou ainda mais confiante durante a festa. Não sai por nada, gente.” comentou Sabrina Sato.

 

“Como eu tenho a pele muito clara, amo batom Nude. Recebi uma maleta de Eudora recheada de produtos e não resisti. Usei tudo hoje!” disse Marina Ruy Barbosa.

 

Marina Ruy Barbosa

 

“No ensaio da Grande Rio usei um tom púrpura de um batom líquido de Eudora e hoje eu quis arriscar nesse lápis Rosa Passarela mate. Todo mundo quis saber o batom que eu estou usando” finaliza Juliana Paes.

 

Nos olhos todas usaram o lançamento de carnaval da marca – Pigmento Multiuso Dourado e finalizaram com as máscaras Alongamento Perfeito e Volume Máximo da linha Diva. Na pele, toda linha Skin Perfection.

 

 

A linha #collormate possui sete cores: Nude Caramim, Rosa Passarela, Roxo Vip, Marrom Estilo, Vermelho Desfile, Pink Fashion e Cereja Top. O produto garante aplicação rápida e precisa, já que proporciona maior firmeza na hora de contornar os lábios. Além disso, o item é prático, perfeito para carregar na bolsa. O preço sugerido é R$14,99.

 

Gastroplastia endoscópica é realizada pela primeira vez no Piauí

 

O endoscopista Lucidio Balduíno Leitão e sua equipe, que contou com o endoscopista Daniel Dutra e o especialista em cirurgia bariátrica Aderson Mourão.

 

No último domingo (28) uma Equipe de médicos piauienses realizou a primeira cirurgia de gastroplastia endoscópica do Piauí. O procedimento aconteceu no Hospital da Unimed Primavera e foi comandado pelo endoscopista Lucidio Balduíno Leitão e sua equipe, que contou com o endoscopista Daniel Dutra e o especialista em cirurgia bariátrica Aderson Aragão.

A técnica foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em novembro e com isso, pacientes com sobrepeso ou obesidade moderada (IMC acima de 30) poderão tratar o excesso de peso com uma nova técnica de redução de estômago aprovada recentemente no Brasil: a gastroplastia endoscópica, procedimento realizado via endoscopia, de forma menos invasiva, sem cortes, que reduz o tamanho do estômago para cerca de 60%, promovendo a saciedade. A perda de peso estimada no período de um ano é de 20% a 25% do peso original.

 

Dr. Lucídio Balduíno Leitão revela que a paciente é do sexo feminino com IMC 32  e que havia tentado outros tipos de tratamento e não conseguia perder peso. “Inovamos e somos o pioneiro com esse novo procedimento no Piauí para combater a obesidade, principalmente para pacientes que não respondem a tratamentos clínicos e não são candidatos a cirurgia bariátrica convencional”, ressalta o endoscopista.

Confira mais informações sobre a cirurgia Gastroplastia endoscópica com o endoscopista Dr. Lucidio Balduíno Leitão:

Como funciona este novo procedimento?

A sutura endoscopica também chamada de gatroplastia endoscópica se aplica pontos no estômago sem cortes no abdômen diminuindo seu volume em até 60%.

Quais as vantagens deste método?

Procedimento menos invasivo feito completamento por via endoscópica com anestesia geral superficial o que leva a menos dor, menor índice de complicação, menor tempo de hospitalização e retorno mais rápido as atividades profissionais.

 

Para quem está indicado esta cirurgia?

Na minha opinião o paciente que mais se beneficia desta técnica é com IMC entre 30 a 40(obesidade leve e moderada) que já tentou o tratamento clinico e teve insucesso, principalmente se tem outras doenças associadas como esteatose do fígado, pressão alta, diabetes, apneia do sono.

Para os pacientes com IMC acima de 40 a melhora opção ainda é a cirurgia videolaparoscopica, evidente que para estes pacientes com IMC acima de 40 que relutam em fazer a cirurgia videolaparoscopica a gastroplastia endoscópica pode ser uma boa opção.

Qual a expectativa de perda de peso?

Em média é de 20 a 25% do peso, mais como toda técnica endoscópica e ou cirúrgica isto depende de outros fatores, é muito importante o paciente adotar um novo estilo de vida, mudar hábitos alimentares, iniciar atividades físicas, dar seguimento depois do procedimento com uma equipe multi disciplinar de nutrição, psicólogos e do endocrinologista.

Este procedimento oferece risco?

 

Claro que sim, o índice de complicações é de 2% mais como não tem cortes no abdômen e pode ser feito com anestesia geral superficial o risco menor e a recuperação é mais rápida.

Quanto tempo o paciente fica internado?

Geralmente sai no mesmo dia.

Aonde deve der feito este procedimento?

 

Apesar de ser um procedimento que baixo risco por ser o procedimento cirúrgico deve ser feito em ambiente hospitalar (centro cirúrgico ou sala de endoscopia terapêutica) e em estrutura que tem UTI.

 

Qual a dieta depois da Gastroplastia endoscopica?

Geralmente se alimenta no mesmo dia do procedimento 3 a 4 hora depois de acordar da anestesia.

Esta dieta é inicialmente liquida e orientada pela nutrição muito semelhante a preconizada pós cirurgia bariátrica convencional.

Quanto tempo para voltar as atividades do dia a dia (caminhar, dirigir e trabalhar)?

Por volta de 3 a 4 dias, evitar nos primeiros dias levantar peso, subir escada ou qualquer atividade física.

Cuidado com água no ouvido; casos de otite são comuns em crianças durante o verão

A inflamação do ouvido, conhecida também como otite, pode se tornar um pesadelo nas férias da criançada. Isso por que o período de recesso escolar coincide com o verão e a alta temporada de piscinas, clubes e praias. Os resquícios de água na orelha após a diversão criam um ambiente úmido propício para o crescimento de bactérias ou fungos, podendo causar a otite externa.

Sofrer com a dor é uma das partes mais difíceis para as crianças quando são acometidas pela otite. Além da vermelhidão na área, a dor é intensa e pode ser agravada até mesmo ao encostar ou apertar a orelha, o que resulta frequentemente em choro e um grande incômodo para os pequenos.

Em crianças menores pode ser um pouco mais difícil identificar a otite, já que elas não conseguem falar que sentem dor. “Os pais devem observar o comportamento. Por exemplo, quando for mamar ou comer, em um quadro de otite, na hora de engolir pode doer e a criança exprimir isto chorando, principalmente nos casos de otite média – que é da timpânica para dentro”, explica o médico Jairo Barros do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (IBORL).

 

Nos casos de otite externa, os pais vão notar vermelhidão e inchaço na orelha, acompanhados de muita dor quando tocada mesmo que levemente. Além disso, a criança passa a levar a mão ao ouvido várias vezes, como se algo estivesse errado. Antes de ir ao médico, para amenizar a dor, pode-se fazer uma compressa morna e colocá-la no ouvido externamente.

Quando percebido o incômodo na orelha, um dos erros comuns é usar cotonetes para limpar dentro do ouvido no intuito de melhorar. Porém, esta ação é altamente contraindicada, já que, tanto em crianças quanto em adultos, isto pode causar perfuração da membrana timpânica. “Cotonetes, grampos, pontas de caneta… nada disso deve ser introduzido no ouvido. Além de ferir, pode ser porta de entrada para diversas infecções”, alerta.

 

Como não há prevenção para a inflamação, a orientação médica é cuidar do ouvido após o contato com a água. “Às vezes, no consultório, quando examinamos a orelha da criança é comum encontrarmos grãos de areia dentro. Esses corpos estranhos podem machucar o ouvido e trazer infecções”, explica o otorrinolaringologista. Por isso, depois da brincadeira na água, durante o banho, é importante lavar a parte externa da orelha com água corrente para tirar o excesso de areia ou até mesmo de cloro, geralmente encontrado em piscinas.

 

Identificados os sintomas, os pais devem procurar imediatamente um pronto-socorro pois, se não tratada, a otite pode comprometer até mesmo a audição. Uma vez com otite, as crianças não podem ter nenhum contato do ouvido com a água até serem examinadas adequadamente por um médico para que o tratamento seja iniciado corretamente.

Mas calma! Não precisa privar os pequenos da diversão. “Algumas crianças são mais propensas a terem otite, outras não. Caso ela não apresente nenhum sintoma e não haja nenhum outro motivo que impeça a brincadeira, ele não deve ser afastado das atividades comuns das férias”, finaliza o doutor Jairo.

Queimação no peito é um dos sinais frequentes de refluxo

Refluxo não tem cura, mas há duas maneiras tradicionais de controlar os prejuízos

Está cada vez mais frequente pessoas que reclamam de queimação no peito, azia e a sensação da comida voltando, ao invés do alimento seguir o fluxo normal da digestão. Esses são sintomas típicos do refluxo, uma doença digestiva em que os ácidos presentes dentro do estômago voltam pelo esôfago e causa irritação. O refluxo também pode apresentar sintomas atípicos como a rouquidão, tosse, laringite, bem como a asma.

De acordo com o gastroenterologista, Lucídio Balduíno Leitão, o sintoma mais frequente de refluxo gastroesofágico é a pirose, sensação de queimação no meio do peito vindo do estômago. “Sentir pirose uma vez ou outra não tem problema, mas se ficar muito frequente, duas a três vezes por semana, é a hora de procurar o médico”, ressalta o especialista Lucídio.

O gastroenterologista pontua que o primeiro exame para estudar o refluxo é a endoscopia digestiva alta e destaca, que em alguns casos existe a possibilidade do exame ser normal, nestes episódios o indicado é a pH metria, na qual será avaliado a “acidez” no esôfago por até 24h. “O tratamento geralmente é clínico feito com mudanças de comportamento e medicação. Na falha do tratamento clínico em casos específicos pode ser feito a cirurgia”, destaca Lucídio Balduíno Leitão.

 

 

 

Algumas dicas ajudam a evitar o refluxo, como reservar um tempo para fazer as refeições, além de mastigar os alimentos sem pressa. Mantenha uma rotina alimentar de três em três horas, não coma ingerindo líquidos, assim como praticar atividade física. A última dica do especialista é deitar duas horas após as refeições.

 

Dr.Lucídio Balduíno Leitão

 

9 dicas para uma pele saudável sob o sol

Com a chegada do verão, os cuidados com a pele (nunca é demais repetir) devem ser redobrados. É importante a conscientização do risco do câncer de pele e o alerta para prevenção. Por isso, listamos nove dicas para você curtir o melhor da estação sem colocar sua saúde em risco.

 

Chegou o verão e atenção para os cuidados com a pele

 

1. Escolha um bom filtro para o rosto e outro para o corpo. Consulte seu dermatologista e descubra qual o melhor para você, de acordo com seu tipo de pele. O mercado oferece uma infinidade de marcas, texturas, ativos, fatores de proteção e outros benefícios. Protetores físicos que contêm óxido de zinco e/ou dióxido de titânio conferem maior proteção por criar uma barreira na pele onde os raios UV não são absorvidos – são mais recomendados para quem apresenta reação alérgica a cosméticos

2. Quem tem melasma – aquelas manchas acastanhadas principalmente na face – deve optar por filtros com FPS acima de 50, reaplicá-los a cada duas horas e dar preferência para as apresentações com cor, que camuflam as manchas e oferecem proteção extra por serem fotoprotetores físicos.

 

3. Aposte nos autobronzeadores. A última tendência são as formulações desenvolvidas para serem aplicadas antes de dormir, resultando em um bronzeamento natural na manhã seguinte. A diferença principal entre os de uso noturno e os autobronzeadores comuns está na composição. Os primeiros são formulados à base de óleos essenciais, vitaminas e superativos que agem no período noturno, quando ocorre a regeneração celular cutânea

 

4. Aproveite os dias de folga e marque uma consulta com o dermatologista. Ele poderá analisar pintas e sinais suspeitos e rever sua nécessaire de produtos de uso diário, trocando, por exemplo, alguns dermocosméticos em veículo creme por texturas mais fluidas, como gel ou musse oil free, que oferecem maior conforto em temperaturas mais altas. Ele pode prescrever procedimentos em consultório que podem ser feitos mesmo durante o verão, como determinados peelings e lasers mais superficiais e pouco agressivos.

 

 

5. Não basta cuidar só dos cabelos. É preciso ter atenção também com a saúde do couro cabeludo. Trata-se de uma área que tende a ficar ainda mais sensibilizada devido ao uso constante de produtos químicos, secador, colorações e tinturas (sem mencionar a maior exposição aos raios solares nesta época do ano). Queixas como oleosidade excessiva, coceira, vermelhidão e descamação devem ser investigadas e tratadas. No verão, o couro cabeludo costuma ficar mais oleoso e os fios, mais ressecados. O dermatologista indicará que produtos usar

 

 

6. Uma pele bonita e saudável requer a ingestão de 2 litros de água por dia. Ela ajuda o organismo a eliminar as impurezas e melhora a circulação sanguínea. Favorece ainda a absorção dos nutrientes necessários ao equilíbrio celular e apresenta função hidratante, garantindo uma pele com mais elasticidade e menos rugas

 

Beba bastante água

7. Um mês antes de viajar à praia, potencialize a proteção de sua pele com o uso de nutricosméticos orais. Uma tendência lá fora que já está desembarcando por aqui são as bebidas esportivas à base de vegetais e plantas, como cactos, gengibre, pepino, melancia, aloe e alcachofra. Suas fórmulas são ricas em água, isentas de açúcar e pouco calóricas. Além disso, oferecem propriedades antioxidantes e reabastecem os níveis de eletrólitos do organismo, perdidos com a transpiração. Aumente o consumo de alimentos ricos em betacaroteno. Presente nas frutas e legumes de coloração amarela ou laranja e nas folhas verde-escuras, ele apresenta propriedades antioxidantes e confere um tom bronzeado e saudável à pele, protegendo-a contra os efeitos nocivos dos raios ultravioleta

 

 

8. Ao praticar esportes ao ar livre, redobre a proteção com o uso de chapéus, viseiras e roupas feitos com tecidos especiais, que filtrem os raios nocivos do sol

 

 

9. Cuidado com o consumo de cítricos, como frutas ricas em vitamina C in natura, sucos, batidas e drinques. Elas contêm substâncias que, expostas ao sol, podem causar queimaduras e manchas escuras e resistentes na pele – a fitodermatose. Caso sua pele tenha contato com o suco de frutas cítricas, lave imediatamente o local com água e sabão e saia do sol.

 

Consuma alimentos cítricos, como frutas ricas em vitamina C

 

Fonte; MSN/Forbes

Confira dicas de maquiagem para as festas de final de ano

Make incrível para produzir o visual

 

As mulheres não abrem mão de um visual elegante, sofisticado e poderoso durante as festas de final de ano. Lavoisier, maquiador oficial de Eudora, preparou um passo a passo de beleza com dicas para brilhar e não errar na ocasião.

“Essa maquiagem foi produzida com o nosso lançamento, a Palette Divina Gold que, além de funcional, tem uma embalagem que é puro luxo. Esse tipo de produto é um coringa na penteadeira de qualquer mulher, já que é possível produzir visuais para as mais diversas ocasiões”, comenta o maquiador.

Aprenda a reproduzir o visual com Lavoisier:

1º passo: Eu começo aplicando o Primer 360º em toda a pálpebra com os dedos, ele vai uniformizar o tom da região, além de potencializar e prolongar as sombras usadas.

2º passo: Para fazer os olhos, eu uso o tom de marrom opaco da Palette Divina Gold para esfumar os cantos internos, puxando o traço para a linha dos cílios. Esse passo ajuda a fechar um pouco o olhar, deixando-o mais destacado.

3º passo: Com a sombra mais acinzentada, eu ilumino toda a pálpebra móvel. Para fixar os brilhos basta depositar o produto, ao invés de esfumar.

4º passo: Em seguida, eu ilumino um pouco esse olhar, para não pesar com as sombras mais escuras. Então, eu vou esfumando a linha dos cílios inferiores com a sombra puxando para o canto interno. O olho está praticamente pronto, finalizo com Lápis Kajal com Esfumador na cor Preto Absoluto na linha d’água e muitas camadas da máscara Alongamento Perfeito.

5º passo: Ainda usando a Palette Divina Gold, misturo os dois tons de bronzer da Palette Gold Divino para deixar as bochechas coradas, com uma luminosidade bonita.

6 º passo: Para finalizar a maquiagem, apostei no Lip Deluxe Longa Duração Nude Único, um tom de nude acinzentado que combina com todos os tons de pele, que também é um lançamento de Eudora. Essa maquiagem é neutra, então é possível brincar com o tom da boca, usando outros batons, como o Bordô Magnético ou até mesmo um tom mais vibrante, como o Rosa Marcante, um dos ícones da marca.

 

Câncer de pele é o mais freqüente no Brasil. No Piauí, em 2016, foram quase 1.800 casos da doença

 

Dezembro é o mês da campanha de prevenção ao câncer de pele, o de maior incidência no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). A estimativa é que 30% de todos os tumores malignos registrados no país sejam não melanomas, que são tumores de pele que apresentam alto percentual de cura, quando detectados precocemente.

No Brasil, a ocorrência desse tipo de câncer em 2016 foi de quase 176 mil de novos casos, que resultaram em 1.769 de mortes. No Piauí, o INCA informa a ocorrência de quase 1.800 casos de não melanoma em todo o estado, com 230 registros só na capital. O percentual de incidência em homens e mulheres é semelhante, ficando em torno de 54%.

 

A dermatologista Kamilla Santos

 

De acordo com a dermatologista Kamilla Santos, a população do estado deve ficar alerta aos sintomas da doença, principalmente, porque o Índice Ultravioleta (IUV) no Piauí é geralmente classificado como “muito alto”. A previsão do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) para os próximos quatro dias no estado é um IUV entre 11 a 13, considerado um nível “extremo” de radiação solar. Para quem não sabe, o IUV é um padrão internacional de medição que classifica a intensidade dos raios solares na pele.

“A população tem que se proteger, usar protetor solar com reaplicação a cada duas horas pele menos e para quem não tem condição, usar uma barreira física, como roupas mais cobertas, com mangas compridas, sombrinhas, chapéus, mas não esquecendo que o uso do protetor solar é fundamental, principalmente, porque o nosso estado tem uma alta incidência de raios solares o ano quase todo”, alerta a dermatologista Kamilla Santos.

A médica chamou ainda atenção para a importância do autoexame na pele e de suspeitando de algo anormal, procurar um especialista.  “Manchinhas escuras com bordas irregulares que coçam e descamam precisam ser investigadas. Também é importante verificar se a manchinha está crescendo, se mudou de cor. Percebendo algum desses sinais, a indicação é procurar um dermatologista.

 

Kamilla Santos frisa o cuidado maior que pessoas de pele clara, acima dos 40 anos

 

Kamilla também frisa o cuidado maior que pessoas de pele clara, acima dos 40 anos e com casos de câncer na família devem ter. “A pele clara requer maiores cuidados, com redobrado uso do protetor solar e proteção com barreira física. Em Teresina, é impossível não se expor ao sol, mas a proteção deve ser buscada. Para quem tem ou teve algum membro da família diagnosticado com câncer de pele, os cuidados devem ser redobrados e consultas rotineiras adotadas”, destaca.

A professora e diretora da rede municipal da capital, Joelma Barbosa, levou um susto quando descobriu que estava com melanoma, um tipo de câncer de pele grave. Apesar de estar sempre atenta porque há vários casos da doença na família, ela descobriu o melanoma numa consulta rotineira ao dermatologista. “Foi desesperador, por causa do histórico, você imagina, já perdi meu pai, a minha irmã mais nova já tinha tirado um, foi muito ruim. Então, eu retirei a mancha, o médico me encaminhou rapidamente ao oncologista, mas eu não precisei fazer nenhum tratamento (quimioterapia ou radioterapia), só foi feito um aumento de margem na cirurgia, eu retirei a mancha e um pouco mais da pele e a partir disso eu faço controle anula”, conta a professora.

Joelma, que classifica a própria pele como “parda” revelou que antes do câncer não usava protetor solar de jeito nenhum. “Eu tinha pavor de usar protetor solar, mas depois disso passei a usar fator 70 (FPS) e quando vou me expor ao sol eu visto uma roupa de manga longa e quando vou à praia procuro usar roupas com UVA, não me exponho muito, tomo vitamina D por causa disso e tomo todos os cuidados”, admitiu.

 “Se exponha, mas não se queime”

Desenvolvido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) desde 2014, o movimento Dezembro Laranja tem como objetivo promover a conscientização da população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença, incluindo a importância da fotoproteção em suas diferentes formas para a redução dos riscos. Este ano o slogan da campanha é “Se exponha, mas não se queime”

 

Manchinhas escuras com bordas irregulares que coçam e descamam precisam ser investigadas

 

A recomendação é usar equipamentos de proteção individual (EPI) como chapéus de abas largas, óculos escuros, roupas de cubram boa parte do corpo e protetores solares com fator mínimo de proteção solar (FPS) 30. A hidratação constante também faz parte dessas medidas fotoprotetoras, sem esquecer de evitar os horários de maior insolação: das 10h às 16h.

“No geral, a indicação é um fator de proteção acima de 30, mas é importante levar em consideração a cor do paciente, fatores de risco como parentes que já tiveram câncer e pele mais clara. Já uma pele negra ou morena o fator 30 é suficiente, mas aqui no Piauí um fator acima de 30 é o indicado”, orientou a dermatologista Kamilla Santos.

Dicas da Nutri: Como manter a dieta com as confraternizações de fim de ano

 

Manter a dieta no final do ano parece impossível, são inúmeras as confraternizações neste período e o desafio é não ganhar peso com tantas delícias em excesso, já que o carnaval é logo no começo do ano e o desejo de muitos é estar em forma. 

A dica é não ir para a confraternização com fome, antes faça um lanche leve, como um suco, iogurte e sanduíche natural. Leve sempre na bolsa frutas ou barra de cereais, assim você não sairá da rotina.

 

A nutricionista Larissa Waléria traz dicas de como manter a dieta com as confraternizações de fim de ano

 

Segundo a nutricionista, Larissa Waleria, alguns cuidados podem ajudar a não fugir da dieta, como não sair da rotina e comer de 3 em 3h, além de mastigar bem cada porção de alimento. “É importante fazer boas escolhas na hora de montar o prato, de preferência começar com as saladas, legumes e verduras. Na ceia de Natal optar pelo peru, pois é menos calórico que o pernil e tender”, destacou Larissa.

Para a Ceia de Natal planeje um cardápio mais leve, prepare os pratos com produtos light, com reduzida adição de gordura e açúcar. Use temperos naturais (orégano, salsa, limão, azeite e alecrim). Já para as sobremesas, uma ótima opção são as frutas, mas se sentir o desejo de comer algo diferente basta escolher apenas umas das sobremesas e colocar uma porção pequena. 

 

Manter a dieta durante as festas e evitar a compulsão alimentar é quase impossível. Mas, se você se prevenir, dá para comer bem sem se preocupar com a balança!

 

Algumas pessoas esquecem que as bebidas alcoólicas são calóricas, onde 1 grama de álcool equivale 7 calorias. Estas calorias todas serão transformadas em gorduras as quais atrapalharão no emagrecimento. Procure beber com moderação e intercalar o consumo com bebidas não alcoólicas para manter a hidratação do corpo.

A última dica é não levar sobras da confraternização para casa, assim você evita sair da dieta e no dia seguinte volta à rotina de alimentação e exercícios.

Profissionais da voz são os que mais sofrem com a Disfonia

“Uma alteração vocal pode estar relacionada a múltiplos fatores, como causas orgânicas (de origem neurológica, lesional ou estrutural); funcionais, por mau uso ou abuso vocal; ou mesmo fatores psicológicos”

A voz é uma das principais ferramentas que as pessoas têm para se expressar diante do mundo e todos à sua volta. As alterações da voz podem ter um grande impacto sobre o dia a dia e podem afetar crianças, adultos e idosos em qualquer momento da vida. Entre elas, podemos destacar a disfonia, principal sintoma de distúrbio da comunicação oral. Chamada erroneamente de “afonia”, a disfonia é um transtorno que altera a qualidade da voz, mas não a faz desaparecer por completo.

Diversos sinais e sintomas indicam a presença de alterações. Os principais são Afonia (perda da voz); Rouquidão; Cansaço e esforço ao falar; Dificuldade de projetar a voz; Falhas na emissão da voz; Variações descontroladas da frequência (agudo/grave) da voz e Sensações desagradáveis à emissão.

Existem dois tipos de disfonias: as funcionais e as orgânicas. As primeiras surgem devido a complicações na laringe, causadas por nódulos, pólipos, cistos, edemas ou úlceras ou problemas de timidez, espasmódicos, psiquiátricos etc.

No caso das disfonias orgânicas, ocorrem devido à uma lesão nos órgãos responsáveis pela fonação, ou no caso de doenças congênitas na laringe ou extra laringe, por problemas hormonais, neurológicos ou traumáticos, por exemplo.

O indivíduo que apresenta disfonia deve passar por uma avaliação otorrinolaringológica, a fim de definir o diagnóstico médico laríngeo, e uma avaliação fonoaudiológica, que irá descrever a função vocal.

Segundo a fonoaudióloga Michele Isaias, dependendo do diagnóstico pode ser indicado tratamento medicamentoso e/ou cirúrgico, e o tratamento médico pode ser associado a fonoterapia pré ou pós intervenção. “Os exercícios são feitos de acordo com a patologia ou alteração que o paciente apresenta”, explica a fonoaudióloga.

O tratamento fonoaudiológico visa melhorar o uso da voz, reduzir e eliminar ajustes musculares inadequados, absorver lesões da laringe (diminuindo a necessidade do uso de técnicas cirúrgicas invasivas) e prevenir futuras lesões da laringe.

Michele Isaias destaca ainda dicas de como evitar essa alteração a nível de prega vocal. “Os profissionais da voz devem realizar avaliação com a fono para uma higiene vocal, que irão prevenir patologias a nível de prega vocal e uma futura disfonia do mal uso da voz como beber bastante água, falar alto ou gritar”.

“Por exemplo, um cantor deve evitar mais de 1h de ensaios sem pausas. O advogado ou apresentador de televisão, que se usar uma roupa com o colarinho e a gravata muito apertada, pode gerar uma tensão e lesionar a prega vocal. Ou durante uma caminhada o uso cardio respiratório é grande e fazer o exercício físico com conversas associadas, leva a um esforço devido ao pouco escape de ar. Tudo para que a projeção da voz saia mais alto o que consequentemente fará uma fadiga e a longo de meses irá gerar uma disfonia”, exemplifica a fonoaudióloga Michele Isaias.

Outra dica importante de higiene vocal é evitar o uso de pastilhas e sprays que tem a função de mascarar a dor e gerar um conforto vocal. “Quando for fazer o uso da voz e passar o efeito de mascaramento, a qualidade da voz estará pior por conta do abuso que o paciente fez sem perceber que estava fadigando a musculatura por conta do efeito anestésico”, alerta Michele e lembra que a rouquidão persistente não é normal e demanda a procura por profissional de saúde especializado na área para acompanhamento e tratamento. A prevenção é o melhor caminho para a manutenção de uma voz saudável.

Benefício da vitamina A para cabelo

A vitamina A serve para fazer o cabelo crescer mais rápido quando ela é utilizada como alimento e não quando é adicionada, em forma de ampolas, a xampus ou condicionadores. Uma boa forma de usar a vitamina A para o cabelo crescer mais rápido é tomar diariamente o suco de laranja com cenoura. 

Receita com vitamina A para o cabelo

Esta receita com vitamina A para o cabelo é feita com laranja e cenoura e é ótima para ajudar o cabelo a crescer mais rápido, pois é rica em betacaroteno que será convertida em vitamina A, que é responsável pela produção de cabelo.

Ingredientes

  • Suco de 1 laranja
  • 1 cenoura média, crua com casca

Modo de preparo

Bater no liquidificador os ingredientes e beber o suco, sem coar, todos os dias.

Para fazer o cabelo crescer mais rápido é importante ainda consumir alimentos ricos em proteínas como as carnes em geral, leite, ovos e iogurte e fazer uma massagem diária em todo couro cabeludo para melhorar a circulação sanguínea local.

O Monovin A é um medicamento de uso veterinário utilizado para o crescimento da crina do cavalo de uso injetável que é eficiente no animal devido aos hormônios que possui. Como este medicamento é inadequado para seres humanos o uso do Monovin A não pode ser utilizado de forma injetável nem deve ser adicionado ao xampu pois não terá qualquer efeito sobre o crescimento dos cabelos.

O Arovit e o Retinar são suplementos vitamínicos utilizados para tratar a carência de vitamina A no organismo, sob orientação médica. Adicionar ampolas de Arovit ou de Retinar ao xampu ou condicionador também não faz o cabelo crescer.

Tempo seco exige cuidados com a saúde, explica especialista

O período mais seco do ano chegou em Teresina, o B-R-O Bró. O nome faz referência aos meses com altas temperaturas no Piauí e que, por coincidência, terminam em “bro” (setembro a dezembro). De acordo com especialistas, o tempo seco pode provocar diversas reações no corpo, como irritação nos olhos, nariz e garganta seca, mal-estar e pele ressecada.

Para o otorrinolaringologista, Dr. Erick Barros, a baixa umidade afeta as mucosas dos olhos, da boca e do nariz, que ficam ressecadas, favorecendo a atuação de agentes externos, como vírus e bactérias. “O tempo seco prejudica a saúde porque existem níveis mínimos de umidade relativa do ar, onde abaixo de 30% já é considerado nível crítico, ocasionando efeitos na saúde”, explica.

Para reduzir as consequências do clima seco, o Dr. Erick Barros ressalta a utilização do protetor solar, ingestão de líquidos, além de hidratar a pele. “É salutar também usar colírio para hidratar os olhos, assim como lavar o nariz com soro fisiológico várias vezes ao dia”, destaca o otorrinolaringologista.

Existem mais algumas recomendações para esse período, como usar o umidificador de ar nos ambientes de trabalho e domiciliares, aumentando artificialmente a umidade do ar, bem como não direcionar o ventilador ou o ar condicionado para o rosto. A última dica do especialista é evitar atividades ao ar livre nos períodos em que o ar está mais quente, entre 10h e 15h.